Você já parou para pensar quais dos seus hábitos poderiam te levar à riqueza ou à pobreza? Veja a seguir dicas para ajudá-lo nessa reflexão, esse é o primeiro passo para uma vida mais próspera.

Muitos acreditam que as pessoas ficam ricas pela sorte, jogando futebol ou apenas por nascer numa família rica. Poucos conhecem casos de sucesso, pessoas que saíram do zero e alcançaram o sucesso com muito trabalho e dedicação.
Um dos fatores que podemos observar são os hábitos diários, o hábito é uma ação que você faz constantemente quase que automaticamente. Para que você possa alcançar o sucesso, primeiramente, terá que mudar alguns hábitos de pobre em hábitos de ricos.
Dessa forma, você já mudará seu pensamento e consequentemente o rumo da sua vida, veja a seguir quais são esses hábitos.

O pobre acha desculpas, o rico soluções

Um hábito de pobre é arranjar desculpas para tudo, desde falta de tempo para aprender ou não acreditar num planejamento para o futuro.
Então, sabe aqueles 20 minutos de espera em fila, o rico aproveita para uma leitura produtiva, enquanto o pobre fica jogando.
Não há necessidade de ler ou aprender algo que não goste, comece com o que lhe agrada e a partir disso inicie um novo hábito. Planeje seu futuro, tenha metas e seja protagonista de sua vida.

O pobre acusa alguém da responsabilidade, o rico busca soluções

O rico não teme assumir riscos para encontrar soluções, tem persistência em resolver um problema, estimulando alternativas e possibilitando o crescimento.
Já o pobre diz que a culpa pela falta de dinheiro ocorreu porque não teve oportunidade na vida, o governo não ajuda e é uma vítima da sociedade.
O que você precisa entender é que podemos desenvolver habilidades para chegar onde desejamos, mesmo que você não tivesse condições na época, hoje você pode mudar isso.
Estar em constante aprendizado abrirá portas e mudanças acontecerão, faça acontecer!

O pobre, paga, o rico pede desconto

Um hábito de pobre é a vergonha de pedir desconto, achando que é uma “coisa de pobre”, ou seja, uma atitude. Ela se sente envergonhada, e se coloca como se a o atendente pensasse que você ela é uma pessoa não tem condições de pagar.
As pessoas vivem preocupadas com as opiniões alheias, elas sentem necessidade de provar para as outras pessoas que elas podem. Elas transferem a falta de autoestima e confiança para o próximo.
O hábito de rico não é pedir desconto e sim perguntar qual o desconto. Até porque, ele previamente já pesquisou por preços antes de adquirir o produto ou serviço e tem total clareza do seu custo.
Peça desconto sem medo, mostre que você valoriza seu dinheiro e o esforço que fez para adquiri-lo.

O pobre acha que tem direito, o rico deveres

O pobre vive reclamando pelos seus direitos e esquece muitas vezes de cumprir seus deveres como cidadão, por exemplo, no respeito ao próximo prezando por uma convivência harmoniosa.
O rico sabe quais os seus deveres como cidadão e procura ajudar os mais carentes, aqueles que realmente não tem perspectiva de uma vida melhor.
Você já reparou que muitas pessoas bem-sucedidas são voluntárias? Elas compartilham seu dinheiro e até mesmo seu tempo, para ajudar aqueles que estão passando fome.

O pobre faz competições, o rico cria

Um hábito de pobre que muitas pessoas fazem é a ostentação por bens materiais, uma competição pelo consumismo que tem levado as pessoas ao endividamento.
As pessoas acreditam que trabalham demais e a forma de recompensar é gastando com roupas caras, celulares de última geração, carros novos e assim por diante. Você já deve ter escutado “vou gastar mesmo porque eu mereço”.
Diferentemente, o rico não compete ostentando bens materiais, isso é apenas uma consequência do seu esforço.
O rico prefere criar algo interessante e lucrativo, ter ideias inovadoras é estimulante para ele e não o consumismo.

O pobre se queixa de tudo, o rico é grato

Um dos hábitos de pobre mais prejudicial é o de reclamar, porque é algo que contagiante e quando você menos esperar, já estará pensando negativamente.
Os pais pobres aprendem a criticarem seus filhos, sempre achando que qualquer esforço não é suficiente. Isso percorre gerações e é preciso estancar para que o futuro dessas crianças não fique comprometido.
O rico costuma ser grato, não é via de regra, mas em sua maioria acontece, mas aqueles que têm a mentalidade rica, agradecem pelas oportunidades, mesmo que tenham fracassado.
Eles veem no fracasso uma forma de aprendizado e persistem nos seus objetivos até alcançá-los.
Tente não reclamar por um dia, você verá como é difícil e ao mesmo tempo como é gratificante.

O pobre gasta muito, o rico investe em educação

Uma pessoa de mentalidade pobre gasta mais do que ganha, não possui um controle financeiro, fica apenas sobrevivendo a cada mês.
Diferentemente, uma pessoa de mentalidade rica sabe quanto ganha e quanto gasta, tudo controlado e tem planejado o que espera do futuro.
Um hábito de rico é acompanhar como está a economia dentro e fora do país, não precisa ser expert, mas precisa estar atualizado. Além disso, está sempre em busca de conhecimento.

O pobre vai com a maré, o rico nada contra

Já ouviu falar em efeito manada? Esse comportamento é muito comum com animais que convivem em grupo, tem um à frente liderando o grupo e o restante o seguindo.
E que relação isso tem conosco?
Tudo! É um comportamento que também adquirimos dos nossos antepassados, você já deve ter escutado que “estou está fazendo isso porque fulano fez”, isso é o efeito manada.
Seguimos o que os outros fizeram, simplesmente porque achamos que temos que fazer isso e não avaliamos se é preciso fazer.
Por exemplo, será lançado um novo celular com tecnologia super avançada, as pessoas fazem fila para comprar e pagam caro pelo aparelho. Porém, foi avaliado a real necessidade por esse item? Ou apenas comprou por causa da moda?
Um hábito de rico é planejar tudo, mesmo o que precisa comprar. O rico avalia qual o retorno financeiro por adquirir esse tipo de celular, porque pode ser essencial para melhorar a qualidade do seu serviço.

O pobre sonha com a sorte, o rico criar a sorte

Um hábito de pobre muito comum é o de gastar com jogos de sorte, desde uma simples raspadinha até em casinos, as pessoas são viciadas em jogos e depositam nelas a esperança de mudar de vida.
Repare na Mega da virada, é o jogo mais esperado do ano, as pessoas gastam grande quantidade de dinheiro pois acreditam numa vida nova no novo ano.
O pobre não avalia o quanto foi gasto em jogos de sorte, por exemplo, se todo esse dinheiro fosse aplicado quanto teria hoje.
O rico não espera a sorte para mudar de vida, ele traça objetivos e foca até alcançar. Sua riqueza depende de seu sucesso e não dá sorte.
Não entenda que você não possa apostar em jogos, aposte moderadamente, sem comprometer seu orçamento. Planejamento é tudo.
O pobre inveja quem tem sucesso, o rico tem ídolos
O pobre tem inveja das pessoas de sucesso, acreditam que ganharam dinheiro fácil ou que vieram de família rica. Não tentam buscar as histórias de como essas pessoas chegaram lá, apenas olham como elas estão hoje.
Muitos possuem crenças limitantes em relação ao dinheiro, como:

  • “O dinheiro não traz felicidade”
  • “Uma vez pobre sempre pobre”
  • “Quem fica rico vende a alma”.

Substitua esse tipo de pensamento, substitua por “eu posso e serei rico”, “eu mereço e estou focando nisso”.
Um hábito de rico é estudar as pessoas bem-sucedidas, entender o que elas sacrificaram e quantas vezes falharam para atingir o sucesso. Aprenda com elas, seja fã!
Não há necessidade de adquirir todos esses hábitos de uma vez, avalie o que seria mais fácil de começar. O mais importante é mudar a forma de pensar, a partir dessa sua vida terá um novo sentido.